sexta-feira, 7 de novembro de 2008

tempotempotempo(...)


O Tempo é efêmero
o relógio. sol. a terra. o céu
movimentos
instantes que não voltam mais
a lembrança
a doce festividade interior
paralisa os sentidos
enobrece a memória
Tempo é relativo
invisível
é beijo do vampiro.
Tempo é conforto das tempestades negras
é eternidade das desiluões
e dos apaixonados
Tempo é temor das gerações
pesadelo dos vaidosos
a transição
ciclo
passadopresentefuturo
Tempo é invenção do serhumano
para ser recomeço, para virar parâmetro
para virar teoria
preocupação.
Tempo renova
não dá brecha pra repetições
inventa sonhos
reinventa conceitos
torna-te o seu prórpio desconhecido
faz-se novo, doce e estranho
Caras que distribuimos à ele
são as formas como veremos
o passo passar
o ônibus chegar
o farol acender
e o carro ultrapasssar o mundo
Tempo
é passível de desejo
ansiedade
carinho
Sem começo nem fim
tempo é toda hora
é ampulheta do jogo
de mímicas inimitáveis
Na parede da cozinha,
é cheiro de bolo
Na escrivaninha do escritório;
é produtividade capitalista
No sol é dia,
Na noite é imensidão.
Tempo é brisa hoje
mais amanhã será ventania varrendo
o arquivo da sua vida

Tempo?(...)
Cabe em reticências
(...)

2 comentários:

Érica disse...

perfeito!!!
dispensa qualquer tipo de comentário!
alias como sempre né?!

technology disse...

Although we have differences in culture, but do not want is that this view is the same and I like that!
age of conan power leveling